segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Dia do Voluntariado

No dia cinco de dezembro, comemora-se o dia internacional do voluntariado. De forma a incutir a importância para conservação da natureza nos mais jovens, fica a sugestão de plantar uma árvore, ajudando também a reflorestar mais rapidamente as nossas florestas.
O projeto "Uma árvore pela floresta" criado pela Quercus em parceria com os CTT,  é uma boa ideia, onde pode comprar uma árvore, e oferece-la a si, aos amigos, à família, à Natureza. Boa ação!

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Arundo donax

    Ao longo dos tempos, cada cultura favorece certos aspetos do seu ambiente, e certas formas práticas e simbólicas de se relacionar com o mesmo. Na ilha da Madeira, a utilização de plantas com fins aromáticos, medicinais e associada a tradições está ainda bem presente, sejam espécies endémicas, nativas ou introduzidas. A  cana vieira, espécie introduzida da Asia Central e Meridional, propaga-se por terrenos incultos, baldios ou bermas de terrenos agrícolas, pertencente à família Poaceae tornou-se infestante. Contudo, a população dá-lhe também utilidade, os rebentos desta monocotiledónea e  apenas os que "nunca viram o mar", são utilizados em infusões do trato urinário e dores menstruais, ou ainda para a primeira maleita, em decocções Parietaria  judaica, Polygonum aviculare ou de Lavatera cretica e Linum usitatissimum.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Poesia

J. Glover - The Island of Madeira,  XIX century
Desde sempre na poesia são imortalizadas as paisagens das ilhas. No século XVI, o poeta, L. Vaz de Camões na épica obra, Os Lusíadas, descreve episódios da história portuguesa, entre os quais, a viagem do caminho marítimo para a Índia. Num dos seus cantos, também descreve uma das ilhas do Atlântico, a Madeira, e a sua outrora, exuberante vegetação.
 
(...)
"Assim fomos abrindo aqueles mares,
que geração alguma, não abriu.
As novas ilhas vendo e os novos ares.
Que o generoso Henrique descobriu.
De Mauritânia os montes e lugares,
Terra que Anteu num tempo possuiu,
Deixando à mão esquerda, que à direita,
Não há certeza doutra, mas suspeita.
Passamos a grande ilha da Madeira,
Que do muito arvoredo assim se chama,
Das que nos povoamos, a primeira,
Mais célebre por nome que por fama,
Nem por ser do mundo a derradeira,
Se lhe avantajam quantas Vénus ama,
Antes, sendo esta sua, se esquecera,
De Cipro, Pafos  e Cítera".

L. Vaz de Camões, in Os Lusíadas, canto - V

domingo, 4 de setembro de 2016

Documentário

Um bom documentário para quem gosta de plantas.
 
Título: What plants talk about?               Data: 2013  
Sinopse: As plantas e sua comunicação, durante 1 hora, é explicado de forma simples pelo cientista J.C. Cahill (Universidade de Alberta - Canadá), como reagem as plantas e quais são os seus mecanismos de sobrevivência e defesa contra alterações das condições climáticas e predadores. Observando paisagens das florestas do Canadá, ouvimos acerca do mundo desconhecido das plantas.