quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Bálsamo de canudo


Passeando pela Costa Sul da ilha da Madeira encontramos facilmente esta planta: azul acizentada, formada por tubinhos e espreguiçando-se ao Sol por um muro de pedra abaixo. É uma Asterácea oriunda da África do Sul.
Muitos usos lhe são atribuídos pelo Visconde do Porto da Cruz: para anemias, tuberculose, estancar feridas, terçois, etc. Ainda hoje a sua mais famosa utilização na Madeira é como colírio: cortar uma folha e espremer um pingo para dentro do olho inflamado.
Mas quanto a propriedades medicinais, parece sermos os únicos no mundo a atribuí-las (pelo menos no mundo virtual).
Na África do Sul é considerada uma planta venenosa. Já na Nova Zelândia naturalizou-se e, apesar de não formar sementes, espalhou-se pela ilha e tem o estatuto de invasora.
Em inglês chamam-lhe pau de giz azul (blue chalkstick). Alguns madeirenses chamam-lhe também bálsamo sagrado o que vem reforçar o apreço que lhe dedicamos.
Eis algumas receitas referidas pelo Visconde do Porto da Cruz: contra a anemia beber em jejum um cálice duma infusão desta planta em vinho madeira; Contra a tuberculose, também em jejum mas só o sumo. Há ainda uma outra receita com caracóis inteiros esmagados. Ainda segundo aquele autor, o sumo do bálsamo de canudo é um bom cicatrizante de feridas e chagas e pode dar alívio a queimaduras.
Para propagar basta enfiar um galhinho pela terra dentro. De preferência num local com muito Sol e muita drenagem e com espaço para cair muro abaixo.

11 comentários:

Anónimo disse...

boa noite gostava de saber onde consigo encontrar esta planta no continente uma vez que foi a unica coisa que me ajudou a tratar os olhos aquando de enfermidades. se podesse indicar possiveis locais ou outra forma de adquiri la agradecia imenso.deixo o meu contacto.obrigado.assuriano@yahoo.com

Fátima Isabel disse...

Olá anónimo. No continente não sei onde pode encontrá-la. Aqui na Madeira é muito frequente, e como se propaga bem, é só "pedir emprestado" um raminho e enfiar num vaso com terra.
Vi uma planta muito parecida no Jardim Botânico do Porto, há 2 anos atrás, mas a identificação que lá tinha era de outro Senécio.
Talvez num desses Garden Centre que tenham plantas suculentas.
Boa sorte.

João Carlos disse...

Acabei de chegar de uma viagem à Madeira. Mais um regresso às minhas raizes, já que os meus ancestrais são da Madeira, mas propriamente do Machico e da Camacha. Adorei essa terra magnifica...
A proposito do "balsamo de canudo" lembro-me de ver a minha avó utilizar essa planta há muito anos em África. Utilizava-a em afeccções oculares. Anos mais tarde voltei a encontrar o balsamo no Alentejo, mas sem utilização prática. No Jardim Botânico do Funchal encontrei essa planta também com duas designações. Senécio e Kleinia Repens.
Gostei muito deste blog... por favor não o deixem morrer. (eu dou uma ajuda...)

Pedro disse...

Pedro Caiado - Mafra

Uso em minha casa óptimo cicatrizante. Para feridas faz milagres. Com meu sogro, o médico queria-lhe cortar uma perna com ferida profunda na canela foi tratado por pessoa entendida e na mezinha também havia este bálsamo, fechou a ferida e ficou com a perna boa.
Conheço a planta desde pequeno, e na minha região Torres Vedras é usada para esse fim, é obrigatório ter em casa.

Vera Rafael disse...

Boas, eu tenho Balsamo-azul, ou Balsamo de canudo, como lhe queiram chamar, no meu canteiro, já há imensos anos. A minha mãe costuma fazer um xarope muito bom para a tosse: corta-se meia cenoura em folhinhas finas, meio limão, e duas ou três colheres de mel, e umas três folhas de balsamo, cortadas pelo meio (vertical) e depois em pedaços de cerca de 2 cm (horizontal), para serem mais fáceis de os pôr para o lado. Depois de deixar aquilo um bocadinho a combinar, come-se à colher, de vez em quando, mas nunca comer o bálsamo.

Além disso, também é bom para fazer inalações, assim como fazemos com o eucalipto.

Dienifer Pinto Goncalves disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Unknown disse...

Também faço o xarope. É óptimo.

Maria Manuela Lima da Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Manuela Lima da Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Manuela Lima da Costa disse...

Olá bom dia, fiz uma pesquisa na net, para saber mais benefícios desta planta e vim dar aqui. E fiz questao de deixar o meu testemunho. Em casa dos meus pais sempre houve um vaso com bálsamo(assim era conhecido lá em casa) e tomei muitas vezes o tal xarope para as constipações e tosse,sempre que tivesse uma ferida lá vinha o bálsamo (era o bepantene plus lá de casa) e resultava sempre. Muitas pessoas desconhecem esta planta e seus benefícios, mas sempre que surge oportunidade falo nos seus benefícios e o meu velho bálsamo já deu muitos filhotes por ai. Tenham um bom dia.
Maria Manuela

Anónimo disse...

Também tenho em casa Bálsamo de Canudo. Foi uma amiga que veio da Madeira que me ofereceu, disse que era bom para por uma gota nos olhos quando tivesse alguma infecção! Óbvio que não acreditei nessa (medicina) deixei no vaso e planta linda ia crescendo... como trabalho todo o dia no computador, talvez as mãos menos limpas ao esfregar os olhos com comichão ficaram vermelhos e com pus! Como era fim de semana, sem vontade de ir a um hospital... experimentei por uma gota de bálsamo apenas num olho, por precaução não fosse ficar cega dos dois :) senti ligeiro ardor seguido de imenso alivio. Agora sei que não foram as mãos menos limpas no ato de esfregar a vista mas sim alergia ao pelem da estação! Dei-me bem, assim que sinto a vista embaciada vai uma gota em cada olho. Não é um ritual apenas quando necessário. Muito agradecida aos comentários que fizeram fiquei a saber mais.